24 de ago de 2006

Crônicas Babilônicas


Ah, as balas perdidas... Nem sempre estão perdidas, muitas se acham por aí. Principalmente na cabeça (ou na idéia) de quem não deve (e não teme).
A primavera tá chegando, mesmo, hein!?
E aí, sua cidade também está cheia daqueles ipês amarelos dando o ar da graça, anunciando a chegada da primavera?
Ah... bons ares a trazem. A Bala Perdida.

11 de ago de 2006

Croquis 02


E falando mais sobre rascunhos, uma boa dica pra se aprender muita coisa com desenho, é copiar, pra si mesmo (comercializar é crime, hein!?), outras artes. Como a fotografia, por exemplo. Desta, o que me chamou a atenção, na época - e foi quando eu estava fazendo um estudo sobre - foram não só os movimentos dos bailarinos, na fotografia, mas mais ainda o movimento de suas roupas. Achei fantástico!

croquis


Muitas vezes, o que mais aprecio numa arte, são os seus prévios. O primeiro rascunho, ou os primeiros, até chegar naquele que a gente chama de arte-final, que pra mim ainda é um rascunho porque, cá pra nós, eu nunca tô satisfeito. E é verdade: muitas vezes a arte-final até estraga o esboço! Depois de pronto, me dá vontade de mexer mais e mais, mas fica complicado, pois chega um momento que você tem que parar, antes que fique redundante, inclusive de escrever...

7 de ago de 2006

Crônicas Babilônicas

Bala Perdida é uma nova aventura que ando escrevendo há algum tempo. Andei veiculando só algumas poucas tiras para não perca muito a graça. Inclusive, ando até repetindo algumas. Bala Perdida, na verdade, é mais um tema que venho abordando nas minhas Crônicas Babilônicas e tem como personagem uma criança morta por uma bala perdida, na cabeça, caída em um terreno baldio qualquer, de uma cidade qualquer, e um velho poeta que, no decorrer das histórias, vai se entendendo com o cadáver. Como? Bom, isso é possível aqui nas minhas Crônicas Babilônicas.

2 de ago de 2006

A Primeira Vez...



É assim que iniciarei meu blog. Não vou falar muito, mas sempre que puder, deixarei aqui minha ajuda humanitária.
Abraços e beijos a todos e sejam bem-vindos!
Laz Muniz